Passar para o Conteúdo Principal Top
Montalegre
Logótipo de Município de Montalegre
Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Depois
Máx C
Mín C

I Prémio Literário Bento da Cruz

Premio literario bento da cruz 2018  21  1 1024 2500
Premio literario bento da cruz 2018  1  1 1024 2500
Premio literario bento da cruz 2018  3  1 1024 2500
Premio literario bento da cruz 2018  4  1 1024 2500
Premio literario bento da cruz 2018  5  1 1024 2500
Premio literario bento da cruz 2018  9  1 1024 2500
Premio literario bento da cruz 2018  10  1 1024 2500
Premio literario bento da cruz 2018  11  1 1024 2500
Premio literario bento da cruz 2018  13  1 1024 2500
Premio literario bento da cruz 2018  14  1 1024 2500
Premio literario bento da cruz 2018  15  1 1024 2500
Premio literario bento da cruz 2018  16  1 1024 2500
09 Junho 2018

Integrado no programa comemorativo do feriado municipal de Montalegre, foi atribuído, pela primeira vez, o prémio literário Bento da Cruz, figura maior das letras do Barroso. O júri, constituído por Fernando Pinto do Amaral, na qualidade de presidente, Manuel Frias Martins e Maria Carlos Loureiro, deliberou, por unanimidade, atribuir o referido prémio aos romances "Vamos então falar de árvores", da autoria de João Carlos Costa da Cruz, sob o pseudónimo Teotónio S., e "O espírito das vacas", de Abel Neves, sob o pseudónimo Matilde.

TEM A PALAVRA
 
Gorete Afonso | Biblioteca Municipal de Montalegre
«No âmbito das letras foi um momento histórico com a primeira edição do "Prémio Literário Bento da Cruz". Foi um processo moroso e trabalhoso que deu os melhores frutos. Superou todas as nossas expetativas. Contamos com 50 concorrentes e 51 trabalhos a concurso. Um agradecimento especial aos membros do júri, com um quadro de craveira. Nem sempre é fácil descentralizar estes membros. Estamos de parabéns e Barroso está mais enaltecido».
 
Fernando Amaral | Presidente do Júri
«A instituição do prémio veio em boa hora por várias razões. Em primeiro lugar para lembrar a obra de Bento da Cruz. Era um escritor único, com uma linguagem maravilhosa, inserida no planalto barrosão. Em segundo lugar para estimular a criação literária. Por último, a própria beleza desta terra que é única. O prémio tem a caraterística de as obras terem essa ligação com a paisagem barrosã. É uma terra fria nos termómetros mas quente no coração e levamos o coração cheio desse calor».
 
Manuel Martins | Júri (Presidente da Associação Portuguesa dos Críticos Literários)
«Agradeço a oportunidade de conhecer esta região. Estando em Lisboa, por vezes perdemos a noção do país. É com muito gosto que faço parte do júri deste prémio. A obra de João Carlos Cruz apresenta uma linguagem extraordinariamente poética, rústica e, ao mesmo tempo, intelectual para comtemplar o Mundo. Também não há duvidas nenhumas de que a história do Abel Neves tem muita qualidade e uma escrita forte e maravilhosa».
 
Maria Loureiro | Júri (Diretora de serviços da Direção Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas)
«Todos os prémios literários são sempre bem-vindos. Temos um país de grandes escritores mas, muitas vezes, não têm como mostrar a sua obra. Estes prémios têm o papel de reconhecer o bom. Apoiamos e pertencemos a muitos júris. O município de Montalegre é famoso no país inteiro. Esta iniciativa vem evidenciar a parte literária. Vai ser um sucesso».
 
Abel Neves | Prémio Literário Bento da Cruz (vencedor)
«Sendo eu de Montalegre tenho um sentimento de prazer acrescido por ter concorrido com uma obra anónima que tem este eco junto da população do Barroso. As pessoas poderão fruir de uma história que acontece nesta região e orgulho-me disso».
 
João Carlos Cruz | Prémio Literário Bento da Cruz (vencedor)
«Estou muito satisfeito. Tenho memórias de há 27 anos atrás. Passei aqui uma semana em lua-de-mel e aproveitei essas lembranças para escrever o romance. Leio Bento da Cruz e as leituras resultaram neste prémio».