Passar para o Conteúdo Principal Top
Câmara Municipal de Montalegre
Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Depois
Máx C
Mín C

Perto de 20 mil pessoas visitaram o Castelo de Montalegre

22 Agosto 2019
Sem titulo 3 1 1024 2500

Desde que reabriu ao público - no passado 9 de junho, feriado municipal - perto de 20 mil pessoas quiseram ver, com os próprios olhos, a "sala de visitas" do concelho. Um número que diz bem da atração notável que representa o castelo de Montalegre. Porém, esta estatística não surpreende o presidente da autarquia. Orlando Alves lembra a perfeição da recuperação arquitetónica aliada a outros dados que já apontavam este desfecho como por exemplo o facto de o Ecomuseu de Barroso receber, anualmente, entre 30 a 40 mil pessoas.


Desde 9 de junho, feriado municipal, que tem sido um frenesim constante em volta do castelo de Montalegre. A reabertura ao público aguçou a curiosidade pública. Chegam de todo o lado. Nacionais e estrangeiros. Novos e menos novos. Em comum, o espanto pela perfeição da recuperação arquitetónica operada. Não estranha que os cerca de 20 mil estejam nos apontamentos de quem contabiliza. Um número notável que, mesmo assim, não surpreende o presidente da autarquia, máximo responsável pela decisão de reabrir a porta do principal emblema turístico do concelho.

MUSEALIZAÇÃO CONCLUÍDA

Orlando Alves já sabia que esta aposta só teria um destino: ganhar. Para o autarca, estamos perante uma referência na região, um "gigante" há décadas adormecido que agora mostra todo o seu esplendor: «sinceramente não me surpreende estes números, tendo em conta o trabalho perfeito que foi feito e o facto de estarmos perante uma obra emblemática». Ao lado, mora um outro investimento que já indiciava este sucesso: «o Ecomuseu de Barroso recebe, todos os anos, 30 a 40 mil pessoas. Isto diz bem da beleza e da importância que o concelho representa. Temos uma terra visitável. O castelo é a "sala de visitas". A musealização está concluída».

ELEVADOR PANORÂMICO

Até ao momento, a obra custou um milhão e meio de euros, financiada pelo Portugal 2020, através do PO Norte, e da União Europeia, através do FEDER. Parte do valor foi assumido pela autarquia. Porém, há ainda algo a fazer. A denominada "torre invertida" que faz a ligação à cisterna. Orlando Alves adianta que vai sugerir à Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN) para que haja uma proposta de recuperação desse espaço. Aqui pode entrar «um elevador panorâmico que leve três a quatro pessoas». Estamos perante, reforça o edil, «uma obra interessantíssima em perspetiva, caso único em Portugal» que irá, remata, «fechar da melhor forma toda esta grande obra do concelho de Montalegre».

NORTE2020_FEDER